Relatórios Inteligentes com o Power BI Desktop


Renato Haddad

Novembro, 2015

 

Durante muitos anos a Microsoft pensou numa ferramenta de relatórios que atendesse o mercado de forma brilhante. E, finalmente criaram a ferramenta chamada Power BI. Quando digo brilhante é porquê ela contém muitos modelos de relatórios, consegue usar qualquer fonte de dados disponível no mercado, a interface de usuário para se criar um relatório é simples, você publica na Internet, e para finalizar, em breve será criado um Viewer para que você possa ler qualquer relatório de dentro das aplicações, seja Web, Mobile ou HTML.

O objetivo deste artigo é ter um primeiro contato com a ferramenta, de forma que usaremos uma fonte de dados de uma planilha do Excel, por exemplo, vendas de produtos, e iremos criar algumas visualizações. A figura 1 mostra alguns exemplos de gráficos disponíveis.

Tipos de gráficos do Power BI

Figura 1 – Tipos de gráficos do Power BI

A primeira coisa é se cadastrar no site https://powerbi.microsoft.com/en-us/, basta ter um email com domínio, que não seja hotmail, outlook, gmail, etc. Assim que entrar no site, terão várias opções para fazer um tour, os preços (para aprendizado é gratuito), suporte, documentação, exemplos, vídeos, etc.

Diretamente no site é possível criar relatórios online, tudo na nuvem, nada no desktop, no entanto, como o Power BI Desktop tem mais recursos, irei usá-lo neste artigo. Sendo assim, você deverá fazer o download em https://powerbi.microsoft.com/en-us/ desktop e instalá-lo com sucesso.

Fonte e Preparo dos Dados

Abra o Power BI desktop, selecione a opção Obter Dados. Conforme a figura 2, nota-se que há uma infinidade de tipos de fontes suportadas pelo Power BI, e a cada dia a Microsoft tem disponibilizado outras fontes. Veja que temos Excel, CSV, XML, Texto, SQL Server, MS-Access, SQL Server Analysis Services, Oracle, Azure (MarketPlace, Blobs, Tabelas), DB2, MySQL, PostgreSQL, Sybase, Teradata, SQL Data Wharehouse, HDInsight, SharePoint, Feed OData, Exchange, Dynamics CRM, Facebook, Google Analytics, ODBC, GitHub, entre outras. Caso queira saber as demais fontes, navegue na lista e descubra quais estão disponíveis.

Fonte de dados dos relatórios

Figura 2 – Fonte de dados dos relatórios

Neste exemplo, preparei uma planilha no Excel chamada ArtigoMSDN contendo 6 colunas de dados (Estado, Setor, Dt Venda, Tipo Cliente, Qtd, Vlr Item) com alguns valores. Na figura 3 há apenas algumas linhas, mas no original há 2.500 linhas, assim conseguimos ter bastante informações para trabalhar. Fique à vontade para preparar a sua planilha.

Planilha de dados a ser usada como fonte do relatório

Figura 3 – Planilha de dados a ser usada como fonte do relatório

Sendo assim, no Power BI Desktop, selecione a fonte Excel e clique em Ligar. Na janela aberta, selecione a pasta e o arquivo xlsx a ser usado. Veja na figura 4 que é mostrada a planilha ArtigoMSDN contendo a Plan1. Selecione a Plan1 para que o Power BI saiba qual planilha do Excel será usada na fonte. Imediatamente os dados são mostrados na tela para que você possa visualiza-los. Para finalizar, clique no botão Carregar e aguarde.

Dados do Excel

Figura 4 – Dados do Excel

Assim que a planilha é carregada, você terá disponível o menu com as opções Base e Modelação. Conforme a figura 5, na lista de ícones verticais à esquerda da tela, temos o primeiro para Relatório e o segundo para Dados. Clique em Dados para exibir o conteúdo da planilha. Aqui é o momento de você preparar os dados da forma que necessita, seja uma nova medida, uma nova coluna, uma nova tabela, formatar os dados, informar o tipo de campo, entre outras. Como precisamos calcular o valor total da venda do produto e não temos esta coluna, clique no menu Modelação, na opção Nova Coluna. Será aberta uma linha de edição (similar ao Excel) para que você monte a formula. Então escreva o nome “Total =”, e para a fórmula, basta começar a digitar o nome da coluna que já aparece. A fórmula completa é: Total = Plan1[Vlr Item ] * Plan1[Qtd ]. Para efetivar a fórmula, clique no ícone representado pelo tick. Ao final, do lado direito da tela, você verá todos os campos disponíveis para manusear os dados.

Planilha carregada

Figura 5 – Planilha carregada

Por segurança, convém salvar tudo o que fizemos até agora, então, clique no ícone de salvar e nomeie como ArtigoMSDN. Pronto, esta será a fonte de dados para qualquer gráfico, tabela e dados do relatório.

Criar o Relatório

Para criar e ter acesso a qualquer item do relatório, clique no primeiro ícone vertical à esquerda, chamado Relatório. A figura 6 mostra a ferramenta contendo o menu com diversas opções (dados externos, inserir, relatório, ver, relações entre entidades, cálculos e partilhar), a área em branco onde o relatório será criado (eu já coloquei um dado sobre o total de vendas), do lado direito temos as visualizações e os campos. O que você precisa saber muito bem são as visualizações, as quais são definidas pelas formas de gráficos, números, apontadores, KPIs, etc. Abaixo temos filtros, filtros de nível visual, filtros de página, filtros do relatório. Basicamente você pode selecionar e arrastar os campos nestes filtros.

Criar relatório

Figura 6 – Criar relatório

Qual o total de vendas?

Este é um dado que precisa somar todos os valores da coluna total que criamos e exibir na tela. Então, arraste e campo Total para dentro do relatório. Num primeiro momento ele colocará um gráfico porque é o padrão. Mas, como desejo exibir o número apenas, clique no ícone de Cartão. Será exibido o valor total, conforme a figura 6. Caso queira mudar a ordem da montagem, arraste o cartão para o relatório, e em seguida clique no campo Total.

Qual o total de vendas por estado, em números?

Na lista de visualizações, clique no ícone Tabela que a mesma já é inserida no relatório. Em seguida, precisamos definir quais são os campos, e como queremos saber o total de vendas por estado, clique nos campos Estado e Total. Veja na figura 7 o resultado dos dados no relatório.

Tabela de dados

Figura 7 – Tabela de dados

Qual a quantidade vendida por setor e tipo de cliente na forma de matriz?

Outra forma muito simples de exibir dados é através de uma matriz. Clique no ícone Matriz, e o mesmo é inserido no relatório. Agora precisamos definir quais campos serão linhas, colunas e valores, isto mesmo, eu disse campos, pois você pode compor múltiplos. Neste exemplo, conforme a figura 8, no retângulo vermelho, arraste o campo Setor para o filtro Linhas, TipoCliente para Colunas e Qtd para Valores. Veja que a matriz já separa os dados de forma combinada em linhas e colunas.

Matriz de dados

Figura 8 – Matriz de dados

Qual a quantidade vendida por setor e tipo de cliente na forma de gráfico em anel?

O gráfico em anel consegue mostrar bem visualmente os dados organizados por um ou mais filtros. Só de bater o olho pela primeira vez, já podemos saber quem vendeu mais. Clique no ícone de gráfico em anel, e para os filtros, arraste o campo Setor para Legenda, o TipoCliente para detalhes e Qtd para Valores. Veja na figura 9 o resultado.

Dados no gráfico em anel

Figura 9 – Dados no gráfico em anel

Como filtrar dados diretamente no gráfico ou tabela no relatório?

Uma das melhores funcionalidades dos relatórios é permitir filtrar dados em tempo de execução. Veja a figura 10 e note que tudo o que fiz foi clicar numa área do gráfico em anel. Ele automaticamente já efetivou o filtro para todos os demais objetos, total, tabela e matriz. E, para saber o valor, apenas coloquei o mouse sobre a área e ele já exibiu os dados numa janela sobre a área. Isto é fantástico e muito funcional, ou seja, você monta o relatório e deixa o usuário filtro do jeito que quiser. E o que fizemos para isto? Nada, é automático.

Dados filtrados diretamente no gráfico

Figura 10 – Dados filtrados diretamente no gráfico

Como publicar o relatório na Internet?

A ferramenta que usamos é o Power BI Desktop, que está localmente na nossa máquina. E, após finalizar o relatório é preciso publicá-lo na internet e dar acesso as pessoas interessadas. O pré-requisito é ter uma conta uma conta no site https://powerbi.microsoft.com/en-us/. Em seguida, no Power BI Desktop, clique no botão Publicar. Será aberta uma janela solicitando o seu login, afinal este relatório fará parte da sua lista no site. Veja na figura 11 o processo de publicação, é simples, apenas duas etapas, a publicação e o resultado.

Processo de publicação na Internet

Figura 11 – Processo de publicação na Internet

Uma vez publicado o relatório na sua conta do Power BI na internet, acesse o site com seu login e verá que o mesmo se encontra na lista, conforme a figura 12. Eu mudei a matriz para a parte de cima do relatório para obter uma melhor visualização.

Power BI na internet

Figura 12 – Power BI na internet

Como criar um painel com os objetos do relatório?

Sabemos que você pode ter uma infinidade de relatórios com diversos gráficos, indicadores, tabelas, matrizes, etc, todos contidos no mesmo ou em diversas páginas. No entanto, no Power BI na internet, você consegue criar painéis somente com os objetos que deseja, oriundos de diversos relatórios. Para isto, exiba o relatório ArtigoMSDN no Power BI na internet, posicione o mouse sobre o gráfico em anel. Na parte superior direita será mostrado um menu onde uma das opções é o Fixar visual, é o ícone do Pin (fixar), conforme a figura 13.

Fixar objeto no painel

Figura 13 – Fixar objeto no painel

Em seguida é aberta a janela para você informar em qual painel será fixado, e neste caso, selecione Novo Painel, digite o nome Painel MSDN, e ao final, clique no botão Fixar, conforme a figura 14.

Novo painel

Figura 14 – Novo painel

Eu repeti este passo para o objeto Matriz, então, quando clicar no menu Painel MSDN na lista de Painéis, aparecerá o respectivo painel com os dois objetos fixados, conforme a figura 15.

Painel com os objetos fixados

Figura 15 – Painel com os objetos fixados

Agora vem o melhor de tudo, pode se preparar para aprender uma novidade e ver como que o Power BI tem uma inteligência nos bastidores. Você concorda que ele sabe qual é a fonte de dados? Sim, é claro. Então, na parte superior do painel você pode digitar uma pergunta da forma que quiser. Veja um exemplo que fiz na figura 16, onde pergunto “total qtde por estado”. Ele automaticamente se vira para ler os dados, entender o que quero e montar um gráfico! Sim, isto mesmo, um gráfico. Mas em nenhum momento criamos este gráfico, certo? Exatamente, a inteligência dele nos auxilia com isto, e aqui sim entramos num outro nível de abstração de dados onde cada usuário pode perguntar o que quiser. Experimente perguntar: “comercial por dt venda total qtd”, “clinica”, “estado total qtd”, “dt venda qtd”. Nos bastidores ele sabe quais os campos, as combinações de dados, tudo tem uma inteligência baseada no Azure Machine Learning (leia meu artigo sobre isto https://msdn.microsoft.com/pt-br/library/mt621160).

Questionar o painel

Figura 16 – Questionar o painel

Para compartilhar este painel com alguém da sua organização, clique no botão Compartilhar, informe os e-mails e pronto.

Conclusão

Agora você não tem mais desculpas para criar relatórios inteligentes, até parece que tem vida própria, pois eles interpretam os dados e nos mostram os resultados imediatamente. E, a forma de exibir dados, números e expressões na forma de objetos onde se pode interpretar apenas num primeiro olhar é genial. Imagine estes relatórios num dashboard de uma empresa, ou ainda, num quiosque público onde qualquer pessoa pode consultar escrevendo um texto? E, pensando num futuro muito breve, fazer perguntas com voz e deixar o Cortana interpretar. Vale a pena investir um estudo nesta ferramenta inteligente e proporcionar aos clientes uma excelente solução.

Agradeço a oportunidade de poder compartilhar o conhecimento deste artigo. Qualquer dúvida e necessitando de treinamento, por favor me contate.

Sobre o Autor

Renato Haddad (rehaddad@msn.com  – www.renatohaddad.com) é MVP, MS Regional Director, MCPD e MCTS, palestrante em eventos da Microsoft em diversos países, ministra treinamentos focados em produtividade com o VS.NET 2013/2015, ASP.NET 4/5, Power BI, Entity Framework, Reporting Services, Universal Windows Platform. Visite o blog http://weblogs.asp.net/renatohaddad.