Dados JSON no SQL Server

APLICA-SE A: SQL Server 2016 e posterior Banco de Dados SQL do Azure Azure Synapse Analytics Analytics Platform System (PDW)

JSON é um formato popular de dados textuais usado para troca de dados em aplicativos Web e móveis modernos. JSON também é usado para armazenar dados não estruturados em arquivos de log ou em bancos de dados NoSQL, como o Microsoft Azure Cosmos DB. Muitos serviços Web REST retornam resultados formatados como texto JSON ou aceitam dados formatados como JSON. Por exemplo, a maioria dos serviços do Azure, como o Azure Search, o Armazenamento do Azure e o Azure Cosmos DB, tem pontos de extremidade REST que retornam ou consomem JSON. JSON também é o principal formato para troca de dados entre páginas da Web e servidores Web usando chamadas AJAX.

As funções JSON, apresentadas pela primeira vez no SQL Server 2016 permitem combinar o NoSQL e os conceitos relacionais no mesmo banco de dados. Agora você pode combinar colunas relacionais clássicas com colunas que contêm documentos formatados como texto JSON na mesma tabela, analisar e importar documentos JSON em estruturas relacionais ou formatar dados relacionais em texto JSON.

Este é um texto JSON de exemplo:

[
  {
    "name": "John",
    "skills": ["SQL", "C#", "Azure"]
  },
  {
    "name": "Jane",
    "surname": "Doe"
  }
]

Usando funções internas e operadores do SQL Server, é possível realizar as ações a seguir com o texto JSON:

  • Analise texto JSON e leia ou modifique os valores.
  • Transforme matrizes de objetos JSON em formato de tabela.
  • Executar uma consulta Transact-SQL nos objetos JSON convertidos.
  • Formate os resultados de consultas Transact-SQL em formato JSON.

Overview of built-in JSON support

Principais funcionalidades do JSON no SQL Server e no Banco de dados SQL

As seções a seguir discutem as principais funcionalidades fornecidas pelo SQL Server com seu suporte interno ao JSON.

Extrair valores do texto JSON e usá-los em consultas

Caso haja texto JSON armazenado em tabelas de banco de dados, é possível ler ou modificar valores no texto JSON usando as seguintes funções internas:

Exemplo

No exemplo a seguir, a consulta usa tanto dados JSON quanto relacionais (armazenados em uma coluna chamada jsonCol) de uma tabela:

SELECT Name, Surname,
  JSON_VALUE(jsonCol, '$.info.address.PostCode') AS PostCode,
  JSON_VALUE(jsonCol, '$.info.address."Address Line 1"') + ' '
  + JSON_VALUE(jsonCol, '$.info.address."Address Line 2"') AS Address,
  JSON_QUERY(jsonCol, '$.info.skills') AS Skills
FROM People
WHERE ISJSON(jsonCol) > 0
  AND JSON_VALUE(jsonCol, '$.info.address.Town') = 'Belgrade'
  AND Status = 'Active'
ORDER BY JSON_VALUE(jsonCol, '$.info.address.PostCode')

Os aplicativos e ferramentas não percebem nenhuma diferença entre os valores extraídos de colunas de tabela escalar e os valores extraídos da coluna JSON. Você pode usar valores do texto JSON em qualquer parte de uma consulta Transact-SQL (incluindo, cláusulas WHERE, ORDER BY ou GROUP BY, agregações de janela e assim por diante). As funções JSON usam sintaxe semelhante a do JavaScript para fazer referência a valores no texto JSON.

Para obter mais informações, consulte Validar, consultar e alterar dados JSON com funções internas (SQL Server), JSON_VALUE (Transact-SQL)e JSON_QUERY (Transact-SQL).

Alterar os valores JSON

Se precisar modificar partes do texto JSON, use a função JSON_MODIFY (Transact-SQL) para atualizar o valor de uma propriedade em uma cadeia de caracteres JSON e retornar a cadeia de caracteres JSON atualizada. O exemplo a seguir atualiza o valor de uma propriedade em uma variável que contém JSON:

DECLARE @json NVARCHAR(MAX);
SET @json = '{"info": {"address": [{"town": "Belgrade"}, {"town": "Paris"}, {"town":"Madrid"}]}}';
SET @json = JSON_MODIFY(@json, '$.info.address[1].town', 'London');
SELECT modifiedJson = @json;

Resultados

modifiedJson
{"info":{"address":[{"town":"Belgrade"},{"town":"London"},{"town":"Madrid"}]}

Converter coleções JSON em um conjunto de linhas

Você não precisa de uma linguagem de consulta personalizada para consultar o JSON no SQL Server. Para consultar dados JSON, é possível usar o T-SQL padrão. Se precisar criar uma consulta ou um relatório sobre dados JSON, você poderá converter facilmente os dados JSON em linhas e colunas chamando a função de conjunto de linhas OPENJSON. Para obter mais informações, consulte Converter dados JSON em linhas e colunas com OPENJSON (SQL Server).

O seguinte exemplo chama OPENJSON e transforma a matriz de objetos armazenados na variável @json em um conjunto de linhas que pode ser consultado com uma instrução SQL SELECT padrão:

DECLARE @json NVARCHAR(MAX);
SET @json = N'[
  {"id": 2, "info": {"name": "John", "surname": "Smith"}, "age": 25},
  {"id": 5, "info": {"name": "Jane", "surname": "Smith"}, "dob": "2005-11-04T12:00:00"}
]';

SELECT *
FROM OPENJSON(@json)
  WITH (
    id INT 'strict $.id',
    firstName NVARCHAR(50) '$.info.name',
    lastName NVARCHAR(50) '$.info.surname',
    age INT,
    dateOfBirth DATETIME2 '$.dob'
  );

Resultados

ID firstName lastName age dateOfBirth
2 John Smith 25
5 Jane Smith 2005-11-04T12:00:00

OPENJSON transforma a matriz de objetos JSON em uma tabela, na qual cada objeto é representado como uma linha e os pares chave/valor são retornados como células. O resultado segue as seguintes regras:

  • OPENJSON converte valores JSON nos tipos especificados na cláusula WITH.
  • OPENJSON pode lidar com pares simples de chave:valor e objetos aninhados hierarquicamente organizados.
  • Você não precisa retornar todos os campos contidos no texto JSON.
  • Se não houver valores JSON, o OPENJSON retornará valores NULL.
  • Opcionalmente, é possível especificar um caminho após a especificação de tipo para referenciar uma propriedade aninhada ou uma propriedade por outro nome.
  • O prefixo strict opcional no caminho especifica que os valores para as propriedades especificadas devem existir no texto JSON.

Para obter mais informações, consulte Converter dados JSON em linhas e colunas com OPENJSON (SQL Server) e OPENJSON (Transact-SQL).

Os documentos JSON podem ter subelementos e dados hierárquicos que não podem ser mapeados diretamente nas colunas relacionais padrão. Nesse caso, você poderá mesclar a hierarquia JSON unindo a entidade pai às submatrizes.

No exemplo a seguir, o segundo objeto na matriz tem uma submatriz que representa as habilidades da pessoa. Cada subobjeto pode ser analisado usando uma chamada adicional à função OPENJSON:

DECLARE @json NVARCHAR(MAX);
SET @json = N'[  
  {"id": 2, "info": {"name": "John", "surname": "Smith"}, "age": 25},
  {"id": 5, "info": {"name": "Jane", "surname": "Smith", "skills": ["SQL", "C#", "Azure"]}, "dob": "2005-11-04T12:00:00"}  
]';

SELECT id, firstName, lastName, age, dateOfBirth, skill  
FROM OPENJSON(@json)  
  WITH (
    id INT 'strict $.id',
    firstName NVARCHAR(50) '$.info.name',
    lastName NVARCHAR(50) '$.info.surname',  
    age INT,
    dateOfBirth DATETIME2 '$.dob',
    skills NVARCHAR(MAX) '$.info.skills' AS JSON
  )
OUTER APPLY OPENJSON(skills)
  WITH (skill NVARCHAR(8) '$');

A matriz skills é retornada no primeiro OPENJSON como um fragmento de texto JSON original e passada para outra função OPENJSON usando o operador APPLY. A segunda função OPENJSON analisará a matriz JSON e retornará valores de cadeia de caracteres como um único conjunto de linhas de coluna que será associado ao resultado do primeiro OPENJSON.

O resultado dessa consulta é mostrado na seguinte tabela:

Resultados

ID firstName lastName age dateOfBirth skill
2 John Smith 25
5 Jane Smith 2005-11-04T12:00:00 SQL
5 Jane Smith 2005-11-04T12:00:00 C#
5 Jane Smith 2005-11-04T12:00:00 Azure

O OUTER APPLY OPENJSON unirá a entidade de primeiro nível à submatriz e retornará um conjunto de resultados mesclado. Devido ao uso de JOIN, a segunda linha será repetida para cada habilidade.

Converter dados do SQL Server em JSON ou exportar JSON

Observação

Não há suporte à conversão de dados do Azure Synapse Analytics para JSON nem à exportação de JSON.

Formate dados do SQL Server ou os resultados de consultas SQL como JSON, adicionando a cláusula FOR JSON a uma instrução SELECT . Use FOR JSON para delegar a formatação da saída JSON do seu aplicativo cliente ao SQL Server. Para obter mais informações, consulte Formatar Resultados da Pesquisa como JSON para FOR JSON (SQL Server).

O exemplo a seguir usa o modo PATH com a cláusula FOR JSON:

SELECT id, firstName AS "info.name", lastName AS "info.surname", age, dateOfBirth AS dob
FROM People
FOR JSON PATH;

O FOR JSON formata os resultados do SQL como texto JSON, que pode ser fornecido a qualquer aplicativo que entenda JSON. A opção PATH usa aliases separados por ponto na cláusula SELECT para aninhar objetos nos resultados da consulta.

Resultados

[
  {
    "id": 2,
    "info": {
      "name": "John",
      "surname": "Smith"
    },
    "age": 25
  },
  {
    "id": 5,
    "info": {
      "name": "Jane",
      "surname": "Smith"
    },
    "dob": "2005-11-04T12:00:00"
  }
]

Para obter mais informações, consulte Formatar Resultados da Pesquisa como JSON para FOR JSON (SQL Server) e Cláusula FOR (Transact-SQL).

Usar casos para dados JSON no SQL Server

O suporte a JSON no SQL Server e no Banco de Dados SQL do Azure permite combinar conceitos relacionais e NoSQL. É possível transformar facilmente dados relacionais em semiestruturados e vice-versa. No entanto, o JSON não é uma substituição para modelos relacionais existentes. Aqui estão alguns casos de uso específicos que se beneficiam do suporte a JSON no SQL Server e no Banco de Dados SQL.

Simplificar modelos de dados complexos

Considere a desnormalização de seu modelo de dados com campos JSON em vez de várias tabelas filho.

Armazenar dados de varejo e de comércio eletrônico

Armazene informações sobre produtos com uma ampla gama de atributos de variável em um modelo desnormalizado para obter flexibilidade.

Processar dados de log e de telemetria

Carregue, consulte e analise dados de log armazenados como arquivos JSON com todos os recursos da linguagem Transact-SQL.

Armazenar dados semiestruturados de IoT

Quando precisar de análise em tempo real de dados de IoT, carregue os dados de entrada diretamente no banco de dados, em vez de prepará-los em um local de armazenamento.

Simplificar o desenvolvimento da API REST

Transforme dados relacionais do seu banco de dados facilmente no formato JSON usado pelas APIs REST compatíveis com seu site da Web.

Combinar dados relacionais e dados JSON

O SQL Server fornece um modelo híbrido para armazenar e processar dados relacionais e JSON usando linguagem padrão Transact-SQL. Você pode organizar coleções de seus documentos JSON em tabelas, estabelecer relações entre elas, combinar colunas escalares fortemente tipadas armazenadas em tabelas com pares chave/valor flexíveis armazenadas em colunas JSON e consultar valores escalares e JSON em uma ou várias tabelas usando o Transact-SQL completo.

O texto JSON é armazenado em colunas VARCHAR ou NVARCHAR e é indexado como texto sem formatação. Qualquer componente ou recurso do SQL Server que dá suporte a texto dá suporte a JSON e, portanto, quase não há restrições na interação entre JSON e outros recursos do SQL Server. Você pode armazenar o JSON na Memória ou em Tabelas temporais, aplicar predicados de Segurança em nível de linha em texto JSON e assim por diante.

Se você tiver cargas de trabalhos JSON puras nas quais queira usar uma linguagem de consulta que seja personalizada para o processamento de documentos JSON, considere o Microsoft Azure Cosmos DB.

Veja alguns casos de uso que mostram como é possível usar o suporte JSON interno no SQL Server.

Armazenar e indexar dados JSON no SQL Server

JSON é um formato textual para que documentos JSON possam ser armazenados em colunas NVARCHAR no Banco de Dados SQL. Como o tipo NVARCHAR dá suporte a todos os subsistemas do SQL Server, é possível colocar documentos JSON em tabelas com índices CLUSTERED COLUMNSTORE, tabelas otimizadas para memória ou arquivos externos que podem ser lidos usando OPENROWSET ou o PolyBase.

Para saber mais sobre as opções de armazenamento, indexação e otimização dos dados JSON no SQL Server, consulte os seguintes artigos:

Carregar arquivos JSON no SQL Server

É possível formatar informações armazenadas em arquivos como JSON padrão ou JSON delimitado por linha. O SQL Server pode importar o conteúdo de arquivos JSON, analisá-lo usando as funções OPENJSON ou JSON_VALUE e carregá-lo em tabelas.

  • Se seus documentos JSON estiverem armazenados em arquivos locais, em unidades de rede compartilhadas ou em locais de Arquivos do Azure que podem ser acessados pelo SQL Server, você poderá usar a importação em massa para carregar os dados JSON no SQL Server.

  • Se os arquivos delimitados por linha estiverem armazenados no sistema de arquivos do Hadoop ou no Armazenamento de Blobs do Azure, você poderá usar o PolyBase para carregar texto JSON, analisá-lo no código Transact-SQL e carregá-lo em tabelas.

Importar dados JSON em tabelas do SQL Server

Se precisar carregar dados JSON de um serviço externo no SQL Server, você poderá usar OPENJSON para importar os dados para o SQL Server em vez de analisá-los na camada de aplicativo.

DECLARE @jsonVariable NVARCHAR(MAX);

SET @jsonVariable = N'[
  {
    "Order": {  
      "Number":"SO43659",  
      "Date":"2011-05-31T00:00:00"  
    },  
    "AccountNumber":"AW29825",  
    "Item": {  
      "Price":2024.9940,  
      "Quantity":1  
    }  
  },  
  {  
    "Order": {  
      "Number":"SO43661",  
      "Date":"2011-06-01T00:00:00"  
    },  
    "AccountNumber":"AW73565",  
    "Item": {  
      "Price":2024.9940,  
      "Quantity":3  
    }  
  }
]';

-- INSERT INTO <sampleTable>  
SELECT SalesOrderJsonData.*
FROM OPENJSON (@jsonVariable, N'$')
  WITH (
    Number VARCHAR(200) N'$.Order.Number',
    Date DATETIME N'$.Order.Date',
    Customer VARCHAR(200) N'$.AccountNumber',
    Quantity INT N'$.Item.Quantity'
  ) AS SalesOrderJsonData;

Você pode fornecer o conteúdo da variável JSON por um serviço REST externo, enviado como um parâmetro de uma estrutura JavaScript do lado do cliente ou carregado de arquivos externos. Você pode inserir, atualizar ou mesclar facilmente resultados de texto JSON em uma tabela do SQL Server.

Analisar dados JSON com consultas SQL

Se precisar filtrar ou agregar dados JSON para fins de relatório, você poderá usar OPENJSON para transformar o JSON em um formato relacional. Você pode usar o Transact-SQL padrão e funções internas para preparar os relatórios.

SELECT Tab.Id, SalesOrderJsonData.Customer, SalesOrderJsonData.Date
FROM SalesOrderRecord AS Tab
CROSS APPLY OPENJSON (Tab.json, N'$.Orders.OrdersArray')
  WITH (
    Number VARCHAR(200) N'$.Order.Number',
    Date DATETIME N'$.Order.Date',
    Customer VARCHAR(200) N'$.AccountNumber',
    Quantity INT N'$.Item.Quantity'
  ) AS SalesOrderJsonData
WHERE JSON_VALUE(Tab.json, '$.Status') = N'Closed'
ORDER BY JSON_VALUE(Tab.json, '$.Group'), Tab.DateModified;

Você pode usar colunas de tabela padrão e valores do texto JSON na mesma consulta. É possível adicionar índices na expressão JSON_VALUE(Tab.json, '$.Status') para melhorar o desempenho da consulta. Para obter mais informações, consulte Indexar dados JSON.

Retornar dados de uma tabela do SQL Server formatada como JSON

Se tiver um serviço Web que usa dados da camada do banco de dados e os retorna no formato JSON ou se tiver estruturas ou bibliotecas JavaScript que aceitam dados formatados como JSON, você poderá formatar o resultado em JSON diretamente em uma consulta SQL. Em vez de escrever código ou incluir uma biblioteca para converter resultados da consulta de tabela e serializar objetos no formato JSON, você pode usar FOR JSON para delegar a formatação JSON ao SQL Server.

Por exemplo, pode ser conveniente gerar uma saída JSON em conformidade com a especificação OData. O serviço Web espera uma solicitação e uma resposta no formato a seguir:

  • Solicitação: /Northwind/Northwind.svc/Products(1)?$select=ProductID,ProductName

  • Resposta: {"@odata.context": "https://services.odata.org/V4/Northwind/Northwind.svc/$metadata#Products(ProductID,ProductName)/$entity", "ProductID": 1, "ProductName": "Chai"}

Essa URL do OData representa uma solicitação para as colunas ProductID e ProductName do produto com ID 1. Você pode usar FOR JSON para formatar o resultado conforme esperado no SQL Server.

SELECT 'https://services.odata.org/V4/Northwind/Northwind.svc/$metadata#Products(ProductID,ProductName)/$entity' AS '@odata.context',
  ProductID,
  Name as ProductName
FROM Production.Product
WHERE ProductID = 1
FOR JSON AUTO;

A saída dessa consulta é um texto JSON que está em conformidade total com a especificação OData. A formatação e a saída são manipuladas pelo SQL Server. O SQL Server também pode formatar resultados de consulta em qualquer formato, como OData JSON ou GeoJSON.

Faça o test drive do suporte interno para JSON com o banco de dados de exemplo AdventureWorks

Para obter o banco de dados de exemplo AdventureWorks, baixe pelo menos o arquivo de banco de dados e o arquivo de exemplos e scripts do GitHub.

Após restaurar o banco de dados de exemplo para uma instância do SQL Server, extraia o arquivo de exemplos e abra o arquivo JSON Sample Queries procedures views and indexes.sql na pasta JSON. Execute os scripts nesse arquivo para reformatar alguns dados existentes como dados JSON, testar relatórios e consultas de exemplo em dados JSON, indexar os dados JSON e importar e exportar JSON.

Veja o que você pode fazer com os scripts incluídos no arquivo:

  • Desnormalize o esquema existente para criar colunas de dados JSON.

    • Armazene informações de SalesReasons, SalesOrderDetails, SalesPerson, Customer e outras tabelas que contêm informações relacionadas ao pedido de vendas em colunas JSON na tabela SalesOrder_json.

    • Armazene informações das tabelas EmailAddresses/PersonPhone na tabela Person_json como matrizes de objetos JSON.

  • Crie procedimentos e exibições que consultem dados JSON.

  • Indexar dados JSON. Crie índices em propriedades JSON e índices de texto completo.

  • Importar e exportar JSON. Crie e execute procedimentos que exportem o conteúdo das tabelas Person e SalesOrder como resultados JSON, e importe e atualize as tabelas Person e SalesOrder usando a entrada JSON.

  • Executar exemplos de consulta. Execute algumas consultas que chamem os procedimentos armazenados e exibições criados nas etapas 2 e 4.

  • Limpar scripts. Não execute essa parte se quiser manter os procedimentos armazenados e exibições criados nas etapas 2 e 4.

Saiba mais sobre JSON no SQL Server e no Banco de Dados SQL do Azure

Vídeos da Microsoft

Observação

Alguns dos links de vídeo nesta seção podem não funcionar no momento. A Microsoft está migrando conteúdo anteriormente no Canal 9 para uma nova plataforma. Atualizaremos os links à medida que os vídeos forem migrados para a nova plataforma.

Para obter uma introdução visual do suporte interno a JSON no SQL Server e no Banco de Dados SQL do Azure, assista ao vídeo a seguir:

Building REST API with SQL Server using JSON functions (Criando a API REST com o SQL Server usando funções JSON)

Próximas etapas