Requisitos de licença para entidades

Os criadores de aplicações podem utilizar a maioria das entidades disponíveis no Common Data Service (incluindo entidades personalizadas e entidades que fazem parte do Common Data Model) para a criação de aplicações e fluxos para utilizadores que tenham uma licença PowerApps Plan 1 ou Microsoft Flow Plan 1. Nalguns casos, a entidades contêm lógica complexa de negócio ou estão associadas a aplicações do Dynamics 365 que necessitam que os utilizadores da aplicação tenham uma licença específica.

Entidade Descrição Necessidade
Entidades com lógica complexa de negócio Estas são as entidades que utilizam a lógica de negócio complexa do lado do servidor. Por exemplo, qualquer entidade que utiliza um fluxo de trabalho em tempo real ou plug-in de código. PowerApps Plan 2 ou Flow Plan 2
Entidades restritas São entidades que não são padrão no Common Data Service, mas estão incluídas na aplicação do Dynamics 365 Customer Engagement ou soluções de terceiros. Por exemplo, as entidades de artigo, objetivo e elegibilidade da base de conhecimentos. Um plano do Dynamics 365

Nota

Aplicações e fluxos que utilizem estas entidades necessitam que o utilizador da aplicação e fluxo esteja licenciado adequadamente, não o criador ou programador da aplicação ou fluxo.

Entidades com lógica complexa de negócio

Entidades que incluem a seguinte lógica complexa do lado do servidor requerem que os utilizadores de uma aplicação ou fluxo que utilize estas entidades tenham uma licença PowerApps Plan 2 ou Microsoft Flow Plan 2:

  • Plug-ins de código (para mais informações, consulte Desenvolvimento de plug-ins)

  • Fluxos de trabalho em tempo real (para mais informações, consulte Processos de fluxo de trabalho)

    Nota

    Apenas fluxos de trabalho que são convertidos para um fluxo de trabalho em tempo real são considerados síncronos e em tempo real. Fluxos de trabalho executados em segundo plano ainda podem ser utilizados com o plano PowerApps apropriado e não necessitam de licenças adicionais.

Para determinar se adicionou ou não lógica complexa de negócio às entidades, reveja a lista de montagem de plug-in e fluxos de trabalho configurados no seu ambiente. Para a lista de entidades que poderão conter lógica do lado do servidor depois de instalar uma aplicação do Dynamics 365, consulte Entidades complexas que requerem licenças PowerApps Plan 2

Afetar os requisitos de licença ao adicionar lógica complexa de negócio

Os criadores de aplicações podem adicionar plug-ins de código e fluxos em tempo real às entidades no Common Data Service, mas fazê-lo pode alterar os requisitos de licença para os utilizadores de aplicações já implementadas. Os criadores de aplicações devem ter cuidado quando adicionam lógica complexa de negócio a uma entidade e, em primeiro lugar, devem verificar se os utilizadores dessas aplicações têm as licenças adequadas.

Entidades restritas

Algumas entidades que estão associadas à funcionalidade das aplicações do Dynamics 365 requerem que os utilizadores da aplicação tenham a licença correspondente para essa aplicação se pretendem criar, atualizar ou eliminar registos nas entidades. Para obter uma lista completa das entidades restritas, consulte Entidades restritas que requerem licenças do Dynamics 365.

Exemplos de licenciamento

A Ana e o Vitor estão a criar aplicações no PowerApps através do Common Data Service para armazenar dados.

A Ana está a criar duas aplicações de tela:

  • Aplicação 1 – utiliza a entidade Compromisso juntamente com uma entidade personalizada que armazena informações relacionadas
  • Aplicação 2 – utiliza a entidade Compromisso juntamente com a entidade Incidente, que é uma entidade restrita

O Vitor está a criar duas aplicações orientadas por modelos:

  • Aplicação 3 – utiliza a entidade Compromisso juntamente com uma entidade personalizada que armazena informações relacionadas
  • Aplicação 4 – utiliza a entidade Compromisso juntamente com a entidade Incidente, que é uma entidade restrita

A Ana e o Vitor têm as seguintes licenças:

  • A Ana necessita ainda de uma licença PowerApps Plan 1 para criar aplicações de tela através do Common Data Service. Se precisar de criar uma base de dados ou uma entidade personalizada, ela precisaria uma licença PowerApps Plan 2.

  • O Vitor necessita ainda de uma licença PowerApps Plan 2 para criar aplicações orientadas por modelos.

Os utilizadores de aplicação precisam das seguintes licenças:

  • Os utilizadores da Aplicação 1 só necessitam de uma licença PowerApps Plan 1 ou Plan 2, uma vez que a aplicação não contém entidades com lógica complexa de negócio ou restritas.

  • Os utilizadores da Aplicação 2 precisam de uma licença do Dynamics 365 for Customer Service, Enterprise edition (ou um plano do Dynamics 365 ou Dynamics 365 Customer Engagement), uma vez que a aplicação inclui uma entidade restrita.

  • Os utilizadores da Aplicação 3 necessitam de uma licença PowerApps Plan 2, uma vez que é uma aplicação orientada por modelos.

  • Os utilizadores da Aplicação 4 precisam de uma licença do Dynamics 365 for Customer Service, Enterprise edition (ou um plano do Dynamics 365 ou Dynamics 365 Customer Engagement), uma vez que a aplicação inclui uma entidade restrita.

    O plano do Dynamics 365 for Customer Service inclui uma licença PowerApps Plan 2, o que permite que os utilizadores executem aplicações orientadas por modelos.

Agora vamos ver o que acontece quando o Vitor adiciona um fluxo em tempo real à entidade personalizada que tanto ele como a Ana estão a utilizar nas suas aplicações.

A Ana e o Vitor têm as seguintes licenças:

  • A Ana ainda necessita de uma licença PowerApps Plan 1 para criar aplicações de tela através do Common Data Service.

  • O Vitor necessita ainda de uma licença PowerApps Plan 2 para criar aplicações orientadas por modelos.

Os utilizadores de aplicação precisam das seguintes licenças:

  • Os utilizadores da Aplicação 1 agora necessitam de uma licença PowerApps Plan 2, uma vez que a aplicação contém uma entidade com um fluxo em tempo real.

  • Os utilizadores da Aplicação 2 precisam ainda de uma licença do Dynamics 365 for Customer Service, Enterprise edition (ou um plano do Dynamics 365 ou Dynamics 365 Customer Engagement), uma vez que a aplicação inclui uma entidade restrita.

  • Os utilizadores da Aplicação 3 necessitam ainda de uma licença PowerApps Plan 2, uma vez que é uma aplicação orientada por modelos.

  • Os utilizadores da Aplicação 4 precisam ainda de uma licença do Dynamics 365 for Customer Service, Enterprise edition (ou um plano do Dynamics 365 ou Dynamics 365 Customer Engagement), uma vez que a aplicação inclui uma entidade restrita.

    O plano do Dynamics 365 for Customer Service inclui uma licença PowerApps Plan 2, o que permite que os utilizadores executem aplicações orientadas por modelos.

A única aplicação afetada por esta alteração é a Aplicação 1, que anteriormente requeria uma licença PowerApps Plan 1, mas agora requer uma licença PowerApps Plan 2, uma vez que contém uma entidade com lógica complexa de negócio.

Mais informações sobre o licenciamento

Para mais informações sobre licenças do PowerApps e do Dynamics 365, consulte Descrição geral de licenciamento.