Saudades do Futuro

Alguns blogs atrás eu comentei do uso de containers de computadores para uso em Datacenters.

Para quem não sabe, a Microsoft já tem 13 datacenters e deve chegar a 20 no final do ano. São áreas do tamanho de vários campos de futebol onde rodam serviços da web, como o MSN.com, o Live, e outros tantos. Aqui abaixo vão algumas fotos dos primeiros datacenters...

image image

Investimentos como estes são para poucas empresas, e indicam uma corrida sem par em direção à simplificação no uso do software, pois, com o SaaS, é possível fornecer software na sua casa ou empresa sem hardware de servidores e com menos serviços de TI.

Tamanho investimento não vem sem problemas. Imaginem as mudanças sócio-econômicas junto a um Datacenter. Imaginem a engenharia, imaginem a questão ambiental...

A Computerworld publicou um artigo interessante esta semana: http://www.computerworld.com/action/article.do?command=viewArticleBasic&articleId=9080738&source=NLT_ST&nlid=32. Nele, alguns experts criticam tecnicamente o plano da Microsoft de uso dos containers. A resposta do Michael Manos (dá área de serviços de infra-estrutura da Microsoft) está aqui: http://unthrottled.spaces.live.com/default.aspx?wa=wsignin1.0. Vale a leitura.

Problemas com harmônicas, redundância de energia, etc. fizeram-me lembrar do meu tempo de graduação em engenharia elétrica, antes de me apaixonar pela computação.

Mais interessantes são os problemas de software numa arquitetura destas: como gerenciar aplicações? como criar redundâncias de informação sem sacrificar propriedades como o ACID? é possível? como distribuir o processamento de forma balanceada e indiferente ao hardware/software hospedeiro? como tornar esta infra-estrutura disponível para hospedarmos nossas soluções?

Parece que para quem programou protocolos no velho 8080, como eu, o mundo só está ficando mais interessante!