Como a Microsoft Leva o ITIL V3 do Conceito à Prática - Parte 7

Como o Modelo de Otimização de Infra-Estrutura da Microsoft Suporta os Serviços de Negócios e as Cargas de Trabalho (cont.)

O Modelo de CORE IO define quatro níveis de maturidade e a forma como eles se relacionam com essa capacidade de negócios:

  • Básico. Infra-estrutura que precisa de monitoramento e ajustes manuais constantes.
  • Padronizado. Infra-estrutura com gerenciamento de sistemas automatizado e gerenciamento automatizado de identidade e acesso.
  • Racionalizado. Infra-estrutura com virtualização contínua, segurança proativa e diretivas de configuração que permitem um auto-suprimento.
  • Dinâmico. Infra-estrutura que se torna uma questão estratégica e permite que as pessoas na empresa façam mais para acelerar os negócios.

image

Figura - O Modelo de IO

Ao utilizar o modelo de maturidade de CORE IO, as organizações podem marcar suas capacidades técnicas e processuais para mensurar sua habilidade de fornecer valor comercial. As organizações podem aprimorar sua maturidade por meio da adoção e uso do MSF, MOF, Aceleradores de Solução e produtos do System Center. Como mostra a figura 3, esses principais componentes de gerenciamento de serviços fornecem as práticas básicas, os processos, as instruções e as tecnologias necessárias para a otimização da infra-estrutura do Windows.

image

Figura - Como a Microsoft as instruções, as ferramentas, as soluções e as tecnologias de um processo suportam a otimização da plataforma Windows

O restante desse documento descreve esses principais componentes de gerenciamento de serviços e suas finalidades, além de exibir estudos de caso, demonstrando os sucessos do cliente por meio da adoção dos componentes de gerenciamento de serviços da Microsoft.

Saiba mais sobre o Otimização de Infra-Estrutura na série exclusiva do Technet Experience (e ainda não publicada no site do Technet) através do link: http://www.microsoft.com/brasil/technet/experience/otimizacaoinfra

Um abraço,

Rodrigo Dias